Fertiláqua: A evolução na uniformidade de produção

Alcançar produtividade e rentabilidade na lavoura também são desafios da cafeicultura

Aperfeiçoar o uso dos solos e dos recursos naturais junto aos produtores rurais e a toda sociedade brasileira, por meio de uma agricultura responsável e eficiente, é um dos objetivos da nova Campanha da Fertiláqua: “Somos Solo, Somos Sementes, Somos Mais Produtividade”. Levar ao produtor rural ações para o plantio até a colheita, potencializando a construção de plantas mais fortes e produtivas, além da melhora nas condições gerais do solo, colabora para o desenvolvimento da lavoura como um todo.

Segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CeCafé, as exportações do cultivo superaram o volume de 34 milhões de sacas de 60 kg em 2016. Ainda de acordo com o relatório apresentado, o café exportado ano passado atingiu o maior volume anual desde o início das exportações de café do Brasil.

Esse grande volume verificado em 2016 demonstra que os cafeicultores têm se atualizado em relação às tecnologias empregadas e aperfeiçoado os métodos de gestão. Porém, com o aumento no custo de mão de obra e na energia em insumos, como maquinário, diesel e propriamente a energia elétrica, o produtor de café tem que começar a pensar em eficiência e em como aumentar sua produtividade.

Dentro do sistema produtivo, existem alguns fatores limitantes. Um deles que ganha destaque é o solo. É comum observar a perda da qualidade de nossos solos durante os anos de cultivo e em sua grande maioria, os agentes de produção não dão a atenção necessária à esse fator de produção. A Fertiláqua ressalta que manejar o solo é trabalhar conjuntamente suas características físicas, químicas e biológicas.

A qualidade do solo está diretamente relacionada ao manejo que empregamos na lavoura, uma vez que a sua interação com a planta está relacionada em quanto de energia ela gastará para poder produzir, pincipalmente em relação a nutrientes, extração de água do solo e sua biota. Se o sistema está equilibrado, a planta consome menos energia para fatores secundários, tem mais reserva e produz mais. Dessa forma, o ciclo vai sendo equilibrado até o ponto em que conseguimos aumentar a produtividade na área total manejando o sistema como um todo: solo, planta e outros insumos.

Na cafeicultura, costuma-se observar o café da superfície do solo para cima, como área foliar, crescimento de ramo, florada, número de grãos e uniformidade de maturação, esquecendo-se que 50% da planta está abaixo da superfície do solo: o sistema radicular. A resposta do que acontece em cima, está diretamente relacionada com a interação solo e raiz. Logo, isso já é mais um fator para o produtor se preocupar com a qualidade do solo.

Outro fator no cuidado do solo é a microbiologia. Com o uso de ácido fúlvico, alimento pronto para a microbiota, é possível estimular a planta e ter uma melhor ciclagem do material orgânico no solo, atuando no processo de revitalização da qualidade de nossos solos. A proposta da Fertiláqua é oferecer uma ferramenta eficiente de trabalho para atuar na qualidade do solo, incluindo a possibilidade de atuar em perfis mais profundos (20 à 60 cm). Com maior qualidade, teremos lavouras mais equilibradas, plantas mais produtivas com melhor eficiência no uso dos insumos e mais rentabilidade no processo produtivo.

Sobre o Grupo Fertiláqua

Um dos maiores grupos de nutrição, fisiologia de plantas e revitalização de solo, a empresa Fertiláqua atua por meio das marcas Aminoagro, Dimicron, Maximus, Longevus no segmento de cana-de-açúcar, e Golden Seeds para sementeiras e produtores de sementes. A companhia pertence ao fundo de investimento Aqua Capital. Com mais de 300 colaboradores e presença em todo o Brasil e no Paraguai, a empresa investe em pesquisa, tecnologia e inovação. A Fertiláqua conta com a sede administrativa em Indaiatuba/SP, fábricas em Cidade Ocidental/GO, Cruz Alta/RS e Cuiabá/MT, dois Laboratórios de Análise de Sementes (LAS) e um Centro de Inovação Tecnológica (CIT). O grupo disponibiliza uma iniciativa pioneira, o Programa Construindo Plantas (PCP), com ações específicas em cada fase das culturas, do plantio à colheita, para potencializar o desenvolvimento de plantas mais eficientes, e um solo com melhores qualidades físicas, químicas e biológicas, buscando com isso sistemas com maiores potenciais produtivos e consequentemente rentabilidade. Com o objetivo de reconhecer a qualidade das sementes de soja no mercado brasileiro, foi criado pelo grupo o selo Sementes de Verdade. Mais informações no website: www.fertilaqua.com.

Alfapress Comunicações
Camila Lopes (19) 2136 – 3516 / (19) 99782-7491


author

União Agora

Seu Portal de Notícias, Brasil.

Receba atualizações do site por e-mail em sua caixa de entrada!

www.CodeNirvana.in

Copyright © UNIÃO AGORA | Notícias | União Agora Portal União Agora