Governo do Paraná reativa fábricas de tubos e apoia municípios no combate à erosão

O Governo do Paraná, através do Instituto das Águas do Paraná (ÁguasParaná), irá produzir até o final do próximo ano 260 mil tubos de concreto que serão repassados aos municípios para obras de combate à erosão. As prefeituras recebem, a fundo perdido, o equivalente a R$ 150 mil em tubos de diferentes diâmetros – de 40 a 120 centímetros. Até agora, 131 prefeituras já encaminharam projetos para firmar parcerias com o Instituto ÁguasParaná. 

“Estamos apoiando os municípios paranaenses na solução do grave problema da erosão, que afeta áreas urbanas e periferias das cidades, causando danos materiais e ambientais”, disse o governador Beto Richa, nesta sexta-feira (07/06), ao firmar termos de cooperação para repasse de tubos de concreto com as prefeituras de Mamborê, Boa Esperança, Janiápolis, Farol, no Centro-Oeste do Estado. Na quinta-feira, foram beneficiadas Campina da Lagoa, Ubiratã, Rancho Alegre D’Oeste e Nova Cantu. 

As três fábricas de produção de tubos de concreto, pertencentes ao governo, ficaram abandonadas na gestão anterior. De dois anos para cá, foram investidos quase R$ 2 milhões para reativá-las e reforçar o apoio aos municípios. A erosão inviabiliza áreas urbanas para construção de moradias e provocam perdas de postes de energia e de instalações de drenagem, entre outros equipamentos. A erosão provoca, também, assoreamento de rios e perda de terreno em áreas periféricas das cidades, onde sempre existe uso agrícola. 

O prefeito de Mamborê, Claudinei Calori de Souza, ressaltou a importância da iniciativa. “Os municípios pequenos, como Mamborê, não têm como realizar essas obras sem o apoio do governo”, afirmou ele. A prefeitura de Mamborê irá receber 1.190 tubos, que serão para implantação de galerias pluviais para contenção de erosão. O trabalho será feito em um loteamento para 500 famílias. 

DETENTOS - Juntas, as fábricas têm capacidade para produzir cerca de 40 mil tubos por ano, de diferentes diâmetros. As três unidades empregam cerca de 150 pessoas, das quais 105 são detentos em regime semiaberto, como parte da mão de obra empregada na produção de tubos. A iniciativa, viabilizada por convênio entre o Instituto e a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, faz parte das estratégias para a reintegração social de detentos. Eles recebem salário, refeição e, além disso, têm um dia de redução da pena para cada três dias trabalhados. 

PARCERIA - Existem duas modalidades de acordo dos municípios com o ÁguasParaná. Uma delas é a que está sendo firmada atualmente, pela qual o Instituto repassa os tubos prontos (a fundo perdido, até o equivalente a R$ 150 mil) e presta assistência aos municípios na realização da obra. Os municípios elaboram o projeto e executam a obra. 

Caso o município necessite de um volume de tubos que exceda os R$ 150 mil, a demanda poderá ser atendida com outro tipo de parceria. Nesse caso, o município entra com os insumos (areia, brita, cimento e malha metálica). O ÁguasParaná fabrica o produto e presta assistência na execução das obras. 

Áudio:
author

União Agora

Seu Portal de Notícias, Brasil.

Receba atualizações do site por e-mail em sua caixa de entrada!

www.CodeNirvana.in

Copyright © UNIÃO AGORA | Notícias | União Agora Portal União Agora