Richa instala nova UPS e destaca redução de 43% nos homicídios


As ações realizadas pelo Governo do Estado na área de Segurança Pública reduziram em pelo menos 25,7% o número de assassinatos no Paraná e 43% em Curitiba. O número de homicídios dolosos (com intenção de matar) caiu de 1.001 para 744 na comparação entre os primeiros trimestres de 2010 e 2013, em todo o Estado, e de 240 para 137, na capital. O índice foi divulgado pelo governador Beto Richa nesta quarta-feira (08/05), na instalação oficial da 13.ª Unidade Paraná Seguro (UPS) do Estado, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). 

“Os números mostram que, quando se tem vontade e liderança, é possível atender às necessidades da população. Estamos combatendo de maneira implacável a criminalidade, reforçando o efetivo policial, trocando equipamentos ultrapassados e melhorando a infraestrutura das polícias. Este esforço está levando mais segurança para a sociedade”, declarou o governador. 

Richa disse que os investimentos feitos em segurança até foram fundamentais para o combate à criminalidade e que é preciso avançar mais. Ele anunciou a retomada do programa de módulos policiais móveis. “Os conjuntos de ações têm garantido às famílias do Paraná uma vida mais segura, com harmonia e paz. O Paraná é lugar de pessoas que trabalham para construir um Estado, onde bandido não tem vez e que dá exemplo ao Brasil”, afirmou. 

O governador ressaltou que desde o início da gestão foram contratados 3.127 policiais civis e militares e adquiridas 1.470 viaturas e 893 armas, além de outros equipamentos para as forças de segurança do Estado. “Na área da segurança pública, é inevitável fazer comparação com governos anteriores. Encontramos uma situação crítica, sem efetivo, sem mobilidade. O governador Beto Richa deu prioridade a esta área com a reestruturação das polícias para ver um Paraná mais seguro”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Cid Vasques. 

INOVAÇÃO – Com o lançamento do programa Paraná Seguro, em 2011, começou a se estruturar as UPS, que hoje somam 10 em Curitiba, uma em Londrina e outra em Cascavel. A recém-implantada unidade de Colombo, é a primeira na RMC, e vai atender, principalmente, as vilas Zumbi dos Palmares e Liberdade, consideradas as mais violentas do município. 

Os policiais militares que atuam nas UPSs são treinados em policiamento comunitário, para estreitar o relacionamento com a população, o que aumenta a confiança dos moradores. “É um policiamento humano, solidário, que resgata a confiança do cidadão”, completou Vasques. 

“As UPS já se mostraram eficientes em Curitiba e no interior, onde os índices de violência caíram drasticamente. Ampliamos esta ação atendendo agora os municípios da região metropolitana, que necessitam de mais segurança”, disse Richa, informando que ainda neste semestre será instalada mais uma unidade na RMC, em São José dos Pinhais. 

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberson Bondaruk, explicou que as UPS não são uma solução técnica para todas as regiões. “Elas funcionam em áreas com altos índices de homicídios e criminalidade. Todo o Paraná hoje está numa prancheta onde planejamos de que modo e qual a melhor maneira de atuar”. 

IMPLANTAÇÃO – Para a implantação da UPS Vilas Zumbi e Liberdade, a polícia realizou uma operação de congelamento na terça-feira, com 150 policiais civis e militares. “O objetivo da operação foi limpar e preparar a área para a instalação da UPS. Agora, o policiamento será constante e trará maior segurança à população”, ressaltou o secretário de Estado da Segurança Pública, Cid Vasques. Vinte e cinco policiais e três viaturas atuarão no local. 

Na região onde a unidade foi instalada vivem 12 mil pessoas que sofrem pelos altos índices de criminalidade. A prefeita de Colombo, Bete Pavin, afirmou que a instalação da UPS no município é muito importante para garantir a segurança dos moradores. “Estamos felizes de poder contar com esta unidade que dará mais segurança a uma região habitada por trabalhadores, mas que sempre esteve ameaçada por uma minoria ligada à criminalidade”, disse Bete. 

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius da Costa Michelotto, informou que várias operações foram feitas naquelas vilas, para prender bandidos, apreender armas e combater o tráfico de drogas. “Essas ações e a implantação da UPS vai espantar a criminalidade e afetar diretamente de maneira positiva a vida das pessoas”. Segundo Michelotto, dez traficantes foram presos nos bairros, nos últimos meses. 

O comando da UPS Vilas Zumbi e Liberdade está com a aspirante a oficial da Polícia Militar Fernanda Pegorini. “Vai ser um trabalho complementar ao do 22.º Batalhão da PM. Nos dois últimos meses tivemos grande queda nos índices de criminalidade. As pessoas estão se sentindo mais seguras, e isso vai melhorar ainda mais com a UPS”. O batalhão foi criado em maio do ano passado para reforçar o policiamento no município, que era considerado um dos mais violentos da RMC.

PARANÁ SEGURO – O policiamento localizado das UPS faz parte do plano de ações do Governo do Estado para a reestruturação da Segurança Pública do Paraná. “Pegamos o Paraná numa situação deplorável e estamos tornando-o um lugar melhor e mais seguro para se viver”, declarou o governador Beto Richa. 

Ele apontou o avanço nos investimentos no combate ao crime, com a contratação de 3.127 policiais e a compra de 1.470 viaturas para as forças de segurança do Estado. Também foram citadas pelo governador a construção de novas delegacias-padrão e sedes do Instituo Médico-Legal (IML). 

Com a UPS de Colombo já são 13 unidades instaladas no Paraná. Em Curitiba são dez: Uberaba, Parolin, Sítio Cercado, Cajuru, Tatuquara e cinco na Cidade Industrial de Curitiba (Sabará, Vila Verde, Nossa Senhora da Luz, Vila Sandra e Caiuá). Outras duas estão instaladas no interior: Cascavel e Londrina. 

As unidades têm dado resultados positivos para a população. Pesquisa recente da Polícia Militar também aponta uma redução no número de mortes violentas (24%) em áreas de UPS na capital. O volume de roubos também caiu (18%), assim como os registros de furtos (24%). As apreensões por envolvimento com drogas ou por porte ilegal de armas foram ampliadas em 30% e 50%, respectivamente. 

Nessas comunidades, o número de denúncias tem aumentado e colaborado para detenções por perturbação da tranquilidade e por lesão corporal, que cresceram 86% e 74%, respectivamente. “A presença constante da polícia resgata a confiança da população. É um jeito moderno e mais justo de fazer segurança pública, através do policiamento comunitário. É isso o que queremos: essa aproximação da polícia com as pessoas de bem, levando uma sensação de mais segurança aos paranaenses”, afirmou o governador.
Áudio:
author

União Agora

Seu Portal de Notícias, Brasil.

Receba atualizações do site por e-mail em sua caixa de entrada!

Postar um comentário

www.CodeNirvana.in

Copyright © UNIÃO AGORA | Notícias | União Agora Portal União Agora