Comércio foi o ramo que mais admitiu em 2011


Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - O comércio foi a atividade que mais contratou trabalhadores em 2011 no país: 18,9% do total (8,5 milhões de pessoas), seguido das indústrias de transformação (18,2% ou 8,2 milhões de pessoas) e da administração pública (17% ou 7,7 milhões). O item atividades administrativas e o serviços complementares e construção absorveram 9% (4,1 milhões de pessoas) e 6,4% (2,9 milhões), respectivamente.
Os dados fazem parte da pesquisa Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2011 (Cempre), divulgada hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Das 52,2 milhões de pessoas ocupadas nessas empresas, 45,2 milhões (86,6%) eram trabalhadores assalariados e 7 milhões (13,4%) estavam na condição de sócio ou proprietário.
O número de empresas e outras organizações manteve-se igual ao ano anterior, mas o pessoal ocupado total cresceu 4,9% (2,4 milhões), o pessoal ocupado assalariado, 5,1% (2,2 milhões) e o número de sócios e proprietários, 3,8% (256,2 mil). Os salários e outras remunerações somaram R$ 1 trilhão.
De 2010 para 2011, foram gerados 2,2 milhões de vínculos, sendo 499,5 mil no comércio (22,9%) , 271,7 mil na administração pública, defesa e seguridade social (12,4%) e 269,6 mil na construção (12,3%). 
Na comparação com 2010, o total de salários e de outras remunerações aumentou 8% e o salário médio mensal, 2,4%, em termos reais, ficando em R$ 1.792,61 (3,3 salários mínimos). O levantamento considerou o valor médio do salário mínimo de R$ 510, em 2010, e de R$ 544, em 2011.
Das 5,1 milhões de empresas e outras organizações formais (administração pública, entidades sem fins lucrativos, pessoas físicas e instituições extraterritoriais) ativas em 2011, 89,9% eram entidades empresariais. Elas absorveram 75,5% do pessoal ocupado total, 72,4% do pessoal ocupado assalariado e pagaram 63,4% dos salários e outras remunerações.
A administração pública representou 0,4% das organizações e empregou 18,1% do pessoal ocupado total, 20,9% do pessoal ocupado assalariado e 30,2% dos salários e de outras remunerações. Entidades sem fins lucrativos representaram 9,7% das organizações e empregaram 6,4% do total de trabalhadores, 6,6% do pessoal ocupado assalariado e 6,3% dos salários pagos no ano.
Edição: Talita Cavalcante
author

União Agora

Seu Portal de Notícias, Brasil.

Receba atualizações do site por e-mail em sua caixa de entrada!

Postar um comentário

www.CodeNirvana.in

Copyright © UNIÃO AGORA | Notícias | União Agora Portal União Agora