Litoral recebe R$ 45 milhões para recuperação da infraestrutura


O Governo do Estado e o Ministério da Integração Nacional estão investindo R$ 45,6 milhões em obras de recuperação da infraestrutura das cidades do Litoral atingidas pelas fortes chuvas de março de 2011. Investimentos feitos somente com recursos da administração estadual chegam a R$ 20,5 milhões. O restante está assegurado pelo governo federal. 

Em março foi homologado um conjunto de licitações de obras e projetos executivos de engenharia para os municípios de Antonina, Morretes, Paranaguá e Guaratuba. Estão incluídas a recuperação de uma ponte, a recomposição de pistas e estabilização de taludes nas rodovias estaduais PR-340, 408 e 410. O investimento previsto é de R$ 5,76 milhões, com recursos do governo estadual. 

Neste mês também foram liberados R$ 795,4 mil em recursos federais para a elaboração dos projetos executivos de engenharia para construção de sete pontes em localidades de Morretes, cinco pontes e dois bueiros em Guaratuba e sete pontes para atender as localidades de Morro Inglês, Santa Cruz e Quintilha, situadas em Paranaguá, e que foram muito afetadas pela enxurrada. 

“Algumas obras demoram um pouco mais, porque passado o período de emergência, após o desastre, são necessários processos licitatórios para projetos de engenharia e para as obras”, afirma o secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. “Entramos na etapa de conclusão desse grande esforço para recuperar os municípios do nosso litoral”, diz ele. 

Segundo Richa Filho, a lista de serviços executados é extensa e o trabalho das equipes do governo no Litoral do Paraná não parou desde março de 2011, quando um temporal devastou parte da região. Bairros inteiros foram alagados e o desmoronamento de terra, rochas e árvores de encostas de morros afetaram mais de 16 mil moradores de municípios da região. 

Ele destaca a construção e recuperação de estradas e pontes, limpeza, desassoreamento e retirada de madeira de rios, recuperação da rede elétrica e da rede de abastecimento de água e a construção de casas. “Além disso, houve uma grande mobilização do governo e da sociedade para prover de donativos a população afetada pelo desastre natural”, disse Richa Filho. 

INFRAESTRUTURA - Em Antonina, foram investidos R$ 1,5 milhão em projetos de engenharia e em obras feitas pela Patrulha Rodoviária na PR-405 (Porto das Moças), na estrada municipal do Limoeiro e na PR-340 no ano passado. Outros R$ 5,3 milhões estão previstos para os próximos meses, entre recursos estaduais e federais. 

No município de Morretes, foram aplicados R$ 2,3 milhões em obras de recuperação em rodovias estaduais e projetos de engenharia. Ainda estão previstos R$ 1,7 milhão para estabilização e recomposição de taludes e execução de aterros. 

Devido ao grande volume de água nos rios, o município foi o que mais teve pontes destruídas, como as dos rios Sambaqui e Sagrado, na PR-408. Ambas foram totalmente reconstruídas, em novo padrão, mais largas e em nível mais alto, a um custo de R$ 3,4 milhões. 

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) também fez a contenção de dois grandes taludes (cortes em morros), onde a chuva provocou deslizamento de terra sobre a rodovia PR-408. “São duas obras que exigiram grande movimentação de terra, serviços de drenagem e posterior plantação de grama em toda a encosta”, explica o engenheiro Gilberto Loyola, do DER.

Em Guaratuba, foram investidos R$ 1 milhão em obras e serviços de patrulha rodoviária nas estradas rurais. Nos próximos meses devem ficar prontos os projetos de engenharia das obras de recuperação das pontes e bueiros nos rios Pimenta, Berta, Arariba e Afluente I, II,III e IV, que serão licitadas em seguida, ao custo estimado de R$ 1,2 milhão. 

Paranaguá recebeu R$ 1,1 milhão em obras rodoviárias. Já foram contratados os projetos de engenharia das obras de recuperação de pontes sobre os rios Miranda, Santa Cruz, Cachoeira, Brejatuba e Veríssimo. As obras e os projetos somam investimentos de R$ 2,5 milhões. 

Os trabalhos também atendem a região de Guaraqueçaba, que recebeu obras no valor de R$ 963 mil para conservação da PR-405. Novos investimentos estão previstos para a estrada do Itaqui e Batuva, para melhorar o acesso às comunidades da região. 

EMPREGO E CASA NOVA - O marceneiro Manoel Capete de Souza, de 62 anos, uma das vítimas dos deslizamentos de encostas de morros na localidade de Floresta, uma das mais prejudicadas em Morretes, foi contratado pela empresa responsável pela construção das moradias contratadas pelo governo do Estado para atender às famílias que perderam as moradias. 

Em Morretes serão construídas 85 unidades em parceria entre os governos federal, estadual e municipal. A obra deve custar R$ 4,3 milhões e foi iniciada em janeiro. As primeiras 33 unidades devem ser entregues nos próximos. “As outras 52 residências devem começar a ser construídas após a entrega do primeiro lote, para a liberação de novos recursos da União”, afirma o diretor de Programas e Obras da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Luciano Valério Machado. 

Souza cultivava milho, feijão e mandioca em propriedade de 14 alqueires, em Floresta, onde vivia há 60 anos. “Com a água, a terra, as árvores e as pedras que desceram das encostas da serra, se foram 60 anos de trabalho na lavoura. Perdi tudo. Inclusive uma irmã, que não escutou o barulho do temporal e foi levada morro a baixo”, conta. 

Ele não conseguiu salvar nem os documentos pessoais da residência levada pela enxurrada. “Foi muito rápido. Fiquei com uma mão na frente e outra atrás. Sem dinheiro e sem ter onde morar. Graças a Deus fui presenteado com uma casa”, disse ele, que está construindo a própria casa no novo emprego. “Estou construindo as casas com cuidado e carinho, pois uma delas será minha”, diz Souza, que já arrumou uma namorada para compartilhar a nova moradia. “Emprego, casa, vida e namorada nova”, brinca. 

Situação parecida vive o carpinteiro Antônio Aparecido Dias Belmiro, de 56 anos. Ele teve a casa interditada pela Defesa Civil por conta dos riscos de desabamento em uma área de Antonina. Também conseguiu emprego nas obras da Cohapar, que está construindo as primeiras 53 moradias no bairro Batel. 

“Tivemos de sair rapidamente durante o temporal e a Defesa Civil interditou a casa, depois das chuvas”, lembra Belmiro. “Não sei onde iria morar, se não fosse essa ajuda do governo. Por isso estou caprichando na construção. Uma casa vai ser minha”, diz contente. O investimento nas obras em Antonina é de R$ 4,5 milhões. Devem ser entregues 53 unidades no segundo semestre deste ano e outras 35 estão previstas para a segunda fase. 

Em Paranaguá terá um investimento de R$ 3,4 milhões para construção de 50 casas, para atender às famílias do município que perderam as moradias devido ao desmoronamento de encostas, ou que vivem em áreas de risco de alagamentos. 

LIMPEZA DE RIOS - O Instituto das Águas do Paraná prossegue com a limpeza e desobstrução dos rios da bacia dos rios Jacareí, no Distrito de Floresta, em Morretes, região mais afetada pelo desastre natural, e dos rios Miranda e Santa Cruz, em Paranaguá. O material está sendo levado para uma área que não oferece risco à infraestrutura e às comunidades locais e poderá ser usado para construções. 

Para minimizar o impacto de novas enchentes, o instituto das Águas do Paraná está realizando a limpeza e desassoreamento de mais de 100 quilômetros de rios, córregos e canais nos municípios de Antonina, Morretes, Paranaguá, Matinhos e Pontal do Paraná. O investimento nesta parte das obras é de R$ 2,1 milhões. 

ATIVAÇÃO DA ECONOMIA - Paralelamente aos trabalhos para recuperar a infraestrutura da região litorânea, o Governo do Estado lançou uma linha de crédito a juros baixos para ajudar a estimular a economia local e garantir a manutenção de empregos. Foram ofertados R$ 5 milhões em crédito para micro e pequenos empreendedores, agricultores familiares e pequenas empresas. Mais de R$ 3,2 milhões foram aprovados, beneficiando projetos de 137 empresas, que envolvem aproximadamente 650 empregos em municípios da região. 

ÚLTIMAS OBRAS LICITADAS 

MORRETES 

Estabilização de talude na PR 410 - Km 21,074 

Recomposição de taludes de corte e aterros na PR 410 - Km 26,600 

Recomposição de pista na PR 410 – Km 27,700 

Recomposição de pista na PR 408 – Km 15,400 

Recomposição de pista na PR 408 – Km 19,800 

Recuperação da ponte sobre rio São Joãzinho Feliz, na PR 408 – Km 22,000 

ANTONINA 

Estabilização de talude na PR 340 – Km 1,853 

Estabilização de talude na PR 340 – Km 3,600 

Construção de bueiro na PR 340 – Km 3,840 

Estabilização de talude na PR 340 – Km 3,940 

ÚLTIMOS PROJETOS LICITADOS 

MORRETES (localidades) 

Canhembora - Ponte sobre o rio Canhembora 

Candonga - Ponte sobre o rio Sagrado 

Pitinga - Ponte sobre o rio Bom Jardim 

Pindaúva - Ponte sobre o rio Pindaúva 

Mundo Novo - Ponte sobre o rio Morro Alto I 

Mundo Novo - Ponte sobre o rio Morro Alto II 

Mundo Novo - Ponte sobre o rio Morro Alto III 

ANTONINA 

Cortina atirantada na Avenida Leovegildo de Freitas 

PARANAGUÁ 

Santa Cruz - Ponte sobre o rio Miranda (Casa Nelson) 

Santa Cruz - Ponte sobre o rio Santa Cruz (Casa João Baiano) 

Morro Inglês - Ponte sobre o rio Veríssimo (Casa Juvenal) 

Morro Inglês - Ponte sobre o rio Cachoeira (Casa Nivaldo) 

Santa Cruz - Ponte sobre o rio Miranda (Bambú) 

Santa Cruz - Ponte sobre o rio Miranda (Casa Valdir) 

Quintilha - Ponte sobre o rio Miranda (Casa Jozias) 

GUARATUBA 

Limeira - Ponte sobre o rio do Pimenta 

Ferradura - Ponte sobre o rio da Berta 

Morro Alto - Ponte sobre o rio Arariba 

Morro Alto - Ponte sobre o afluente III do rio Cubatãozinho 

Morro Alto - Ponte sobre o afluente II do rio Cubatãozinho 

Morro Alto - Bueiro - afluente I do rio Cubatãozinho 

Morro Alto - Bueiro - afluente IV do rio Cubatãozinho
Áudio:
author

União Agora

Seu Portal de Notícias, Brasil.

Receba atualizações do site por e-mail em sua caixa de entrada!

www.CodeNirvana.in

Copyright © UNIÃO AGORA | Notícias | União Agora Portal União Agora